Filmes reza-lenda

Publicado em 29 de abril de 2016 | por Eduardo Amorim

1

[Reza a Lenda] Crazy Aron – Lampion Road

Apresentando Reza a Lenda:



 

Dirigido por Homero Olivetto e vendido como um Mad Max do Sertão Nordestino, Reza a Lenda é uma daquelas películas que os tupiniquins amantes do cinema torcem para dar certo e até falam bem, apesar do resultado não ser lá essas coisas…

Saindo do lugar comum da comédia boçal ou de filmes contextualizados em alguma mazela social tão presente em nosso cenário nacional, Reza a Lenda é de cara dado como um bom filme, afinal, essa nobre intenção e coragem de tentar fazer um blockbuster fora da zona de conforto merece ser reconhecida.

Porém, ao contrário do subvalorizado 2 Coelhos, Reza a Lenda não vai muito além da boa vontade, pecando em aspectos técnicos e básicos.

Erros perdoáveis para alguns, mas que atrapalham a “digestão” do filme para os mais exigentes.

Reza a Lenda

reza-a-lenda

Com um começo, de certo modo, épico e em seguida uma cena de ação que prende o espectador, o filme nos apresenta uma terra sem lei onde Laura (Luisa Arraes) vai parar após um acidente provocado por sua culpa em uma atitude imbecil.

Aparentemente a intenção é que Laura seja o elo entre esse mundo desconhecido e quem assiste o filme; para sentir-se na pele de um estranho em meio à estranhos em um western brasileiro.

Porém, como acontece com os demais personagens, ocorre um desenvolvimento superficial e não criamos laço algum com a mocinha que permanece com cara de songa monga durante todo o filme.

Uma coisa sem sentido é uma cena ao final em que:

[SPOILER]Laura se despe e vai pra cima de Ara. É algo como “ah, tá tudo fodido mesmo… Vamos dar uma foda aí”.[/SPOILER]

Não sei se fizeram isso para continuar com o estereótipo de herói hollywoodiano (poucas palavras e muitas mulheres, com um pouco de machismo), ou foi só para, mais uma vez, aproveitar para mostrar os seios de Luisa Arraes (a despeito de sua interpretação, nesse aspecto ela está muito bem no filme rs).

Por falar em atores, eles estão bem em seus papéis, apesar da geração Malhação escalada no filme já ser conhecida do grande público de papéis em novelas das 6, 7, 9, 10, 11… (haja novela!). Nesse ponto acredito que a região nordestina tem atores melhores para o trabalho, porém negligenciados nesse caso.

Vale um destaque especial para o cabra macho Tenório. A cena em que conta a história da buchada (você saberá ao assistir ao filme) é sensacional!

tenório cabra macho

“E lambeu os beiço…”

Aspectos Técnicos

A fotografia publicitária dá um ar fascinante ao filme, porém em alguns momentos se perde um pouco, com longos trechos mostrando personagens fazendo nada ou simplesmente com a câmera indo de lá pra cá filmando a paisagem sem muito a acrescentar

As músicas escolhidas para a trilha sonora são boas, porém quase todas não tem relação alguma com a temática do filme.

Em terra de Luiz Gonzaga, Zé Ramalho, Fagner, Geraldo Azevedo, Alceu Valença, Elba Ramalho (poderia citar nomes pelo resto do artigo) e tanta gente talentosa e zica, recorrer à músicas de cultura estadunidense e descontextualizadas beira o pecado.

O momento em que começa a tocar um rap lembra filmes indianos, quando tudo para e começa um vídeo clipe aleatório.

Falando em cultura nordestina, pela falta de seus elementos temos a impressão de que houve uma falha grave na pesquisa (se chegou a ser feita).

Apesar das falhas técnicas, o filme é divertido e passa rápido.

Crazy Ara: Lapion Road?

mad max vs reza a lenda

Sim, Reza a Lenda é um pouco de Mad Max, como vendido no trailer.

Em entrevista o diretor já disse que o filme teve referências mesmo no universo. Mais no antigo, pois o roteiro começou a ser feito em 2006.

Severina (Sophie Charlotte) pode ainda ser comparada à Imperatriz Furiosa. Pena que sua independência, atitude e poder são deixados de lado quando o triângulo amoroso passa a figurar em primeiro plano na trama.

Menos do mesmo

Tentativas de mudar os rumos do cinema nacional são sempre bem vindas.

Temos áreas de conforto, principalmente nos temas sociais e comédias que desafiam a inteligência do telespectador.

Reza a Lenda merece reconhecimento pela coragem de colocar na tela coisas como uma idosa sendo torturada e queimada junto com a igreja, falar que Deus é um delírio ou exibir cabeças voando em balões pelo céu estrelado.

Por outro lado, “de boa intenção o inferno está cheio”. Um roteiro com menos furos e personagens melhores desenvolvidos certamente dariam outro teor ao filme.

Quem sabe numa possível sequencia…

Obs: Melhor cena (cuidado ao clicar, spoiler do filme!), clique aqui.

[Reza a Lenda] Crazy Aron – Lampion Road Eduardo Amorim
Elenco
Roteiro
Fotografia
Rapadura com Farinha
Trilha Sonora

Resumo: Excelente ideia, mas peca na superficialidade e recorrência ao triângulo amoroso desnecessário

2.2


Tags: , , ,




Uma Resposta para [Reza a Lenda] Crazy Aron – Lampion Road

  1. Diego Mendes Disse:

    Esse filme me surpreendeu positivamente, mas Mad Max é muito melhor mesmo assim

Deixe uma resposta

Voltar ao Topo ↑