Filmes capa-ridiculous-6

Publicado em 30 de setembro de 2016 | por Eduardo Amorim

0

Ridiculous 6 – Sommeliers da 7ª Arte Odiaram

De um lado os amantes incondicionais das produções do Netflix, do outro os eternos odiadores de Adam Sandler….

michael-jackson-pipoca

Ridiculous 6 é considerado o por muitos o primeiro grande erro das produções próprias da Netflix.

Deixando os rabugentos de lado, o filme nada mais é do que uma comédia escrachada para ser acrescentada na longa fila de comédias escrachadas do ator Adam Sandler.

Nota: The Ridiculous 6 é uma paródia do clássico Sete Homens e Um Destino.

Lembre-se de desligar o botão de “Sommelier da 7ª arte” e prepare-se para assistir à melhor atuação de Taylor Lautner em sua carreira!

taylor-lautner-em-ridiculous-6

“dá um tchauzinho pra câmera”

Ridiculous 6

ridiculous 6

Terry Crews fazendo um faroeste.

Se você ainda não está convencido(a) de que deve assistir a esse filme, eu francamente desisto. Não conheço argumento mais persuasivo! (rs)

Indo à sinopse resumida, The Ridiculous 6 conta a história de Faca Branca, jovem com poderes místicos criado em uma tribo estadunidense.

Pouco antes de seu casamento com a bela Raposa Quente (Julia Jones), ele recebe a inesperada visita de um senhor: seu verdadeiro pai biológico!

Alguns diálogos depois e começa uma jornada para salvar a vida de seu pai, que fora sequestrado. Para isso, Faca Branca precisa conseguir 50 mil dólares para entregar aos mal feitores.

Como é de se esperar, o jovem índio não tem essa quantia, decidindo conseguir o dinheiro de maneira ilegal, porém ética, roubando apenas de quem rouba dos pobres.

ridiculous-6-4-principais

No desenrolar da história o personagem de Adam Sandler vai conhecendo novas pessoas por onde passa, descobrindo os irmãos (no total são 6) que seu pai deixou por onde passou quando tinha uma vida parecida com a de um caminhoneiro garanhão dos tempos modernos.

É mesmo ridículo?

O filme se chama The Ridiculous 6, tem Adam Sandler encabeçando o elenco e Danny Trejo como vilão (sim, o Machete!).

RESUMINDO: Um besteirol que tem Ridiculous no nome.

Será que eles queriam se tornar um clássico contemporâneo para se guardar na estante ao lado de DVDs remasterizados do Chaplin?

danny-trejo-atirando

Nota: Danny Trejo até o momento tem 309 filmes em seu currículo no IMDB. Apenas em 2015 foram 16. Nada mal para um “tiozinho” de 72 anos, hein?

Sabendo disso, se você não gosta dos filmes de Adam Sandler, não há motivos para assistir e depois fazer comentários falando que não gostou desse filme, assim como outros 20 filmes dele (já reparou que quem “odeia” algum ator não perde um de seus filmes?).

Para quem sabe o que esperar, Ridiculous 6 é um filme que consegue arrancar algumas risadas e entreter durante todo o tempo, sem arrastar a história ou ter erros grotescos de andamento.

Algumas cenas se sobressaem, como o enforcamento, e um dos momentos decisivos, quando os closes típicos dos spaghetti western são muito bem utilizados.

Ainda existe uma reviravolta muito bacana no final, fechando o filme com algo que mostra que Adam Sandler e companhia são ridículos por que é o que dá bilheteria ($$), não por natureza.

Acredito que as comédias toscas nacionais existem pelo mesmo motivo; se filme ruim dá dinheiro, pra que fazer filmes bons e deixar de faturar?

Preconceito, bullying, machismo…

Há quem diga que Ridiculous 6 é uma ode ao preconceito, faz bullying contra minorias, é machista, misógino e tudo o que há de ruim.

Vai de cada um formar sua opinião.

Acredito que aqui, assim como nos filmes de Sacha Baron Cohen, esses assuntos polêmicos são tratados de forma tão absurda, escancarada e natural que os “defensores das minorias” se incomodam.

Esse tipo de tratamento, de modo peculiar, reflete o modo de pensar de alguém que não está ligando muito para ser chamado de racista, porco chauvinista ou termos afins.

A grosso modo e de maneira um tanto quanto desleixada, isso pode ser consequência de duas linhas de pensamento antagônicas: “sou racista pra caralho mesmo e quero mostrar pra o mundo como odeio índios, pretos, asiáticos, mulheres, gays…” ou “pra que caçar pelo em ovo? Somos todos iguais, não existe motivo pra se preocupar em parecer preconceituoso. Vamos só fumar um e gozar da vida”.

E quando a princesa cede seu precioso brioco para o mocinho de Kingsman como prêmio por ter salvo o mundo? Isso é menos ofensivo do que Terry Crews falando que é “metade negro”? (aliás, essa cena é demais! rs)

Em ambos os casos podemos ver segregacionismo, ódio e tudo que há de ruim no ser humano, ou podemos apenas curtir a cena e rir do contexto.

Às vezes o preconceito está muito mais nos olhos de quem vê, sequer existindo na tela…

PS: a cena do filme onde é mostrado como o beisebol foi criado é excelente! Preste atenção nela 😉

Ridiculous 6 – Sommeliers da 7ª Arte Odiaram Eduardo Amorim
Elenco
Roteiro
Fotografia
Humor
Presepadas
Tiro, porrada e bomba

Resumo: Sem muito tiro, porrada e bomba. Sem muitas piadas engraçadas. Mas tem seus momentos divertidos e prende a atenção.

2.6


Tags: ,




Deixe uma resposta

Voltar ao Topo ↑